Podem ver as personagens aqui

Domingo, 14 de Fevereiro de 2010

The Other Kaulitz Boy II - 11º capitulo

Hey!

Desculpem a demora :D

See ya

 

 

 

- A Aia Gloriette, pediu que a informasse que o seu filho se encontra no lago do jardim com El- Rei.
Fiz sinal para o seu corpo voltar ao normal. Ele assentiu e, com graciosidade, retirou-se, seguindo caminho. Acenei para as criadas e andei adiante, direccionando-me para o jardim.
Desci a enorme escadaria de mármore e abri uma das portas, que dava acesso directo para o enorme campo verdejante.
Ao longe conseguia ouvir os pequenos gritos histéricos de Eric, que corria atrás de Tom, suportando uma mísera espada de madeira. Ele era tão pequeno, tão inocente, tão forte.
De certo que dará um bom rei. Um corajoso e destemido guerreiro que enfrentará tudo e todos para manter a sua nação.
Eric – Maman! – Correu atordoadamente até mim, atirando a espada para o lado.
Envolvi-o com os meus braços, assim que o seu corpo tocou no meu. Beijei os seus cabelos e testa, vendo Tom caminhar na nossa direcção.
Eu – O que estavas a fazer?
Eric – Eric, tautau no pai. – Tentou falar, fazendo umas expressões sérias.
Eu – Estavas a combater com o pai? – Acariciei-lhe o rosto, apertando-lhe ligeiramente a bochecha rosada.
Eric – Oui. – Balançou a cabeça, exibindo um sorriso pintado nos seus finos lábios.
Eu – Estou orgulhosa de ti.
Tom – E eu estou orgulhoso dos dois. – Agachou-se atrás de Eric.
A criança encostou as costas ao meu peito e enrugou o lábio superior, começando a brincar com as suas mãos.
Eu – Faz hoje dois anos… - Sorri-lhe, envolvendo a cintura de Eric com as mãos.
Tom – Se voltasse atrás, faria o mesmo. – Anunciou, beijando a minha mão. – Na diferença que nunca deixaria que ninguém vos magoasse. – As memórias espelharam-se no seu rosto perfeito. Um calafrio percorreu-me a espinha, e, tudo do passado parecia passar à frente dos meus olhos, como uma simples rajada de vento. – Teria fugido contigo logo à primeira oportunidade. E, agora ninguém saberia onde nós estávamos.
Eu – Estás arrependido da vida que escolheste? – Apertei a sua mão com firmeza. Ele olhou para o contacto das nossas peles e depois penetrou o seu olhar caramelizado no meu. – Tom, nó—
Tom – A vida que escolhi foi estar ao teu lado. E isso, eu não me arrependo nada.
Eu - Mas já pensas-te que se tivéssemos fugido, tudo seria diferente, a nossa vida era outra, não tínhamos vivido o que vivemos.
Tom - E se calhar tinha mais tempo para ti e para o nosso filho. - fez uma festa na nuca de Eric, que se entretinha com a linha da espada de Tom.
Eu - Porque estamos a falar de um passado que já foi há mais de dois anos? - mostrei um sorriso sincero ao qual os olhos de Tom brilharam, como há muito não brilhavam, uma visão do passado passou por mim, na minha mente apareceu a primeira vez que vi Tom, aquele brilho mostrado a mim, o olhar que se prendeu a mim até aos dias de hoje e irá perdurar até ao fim dos meus dias.
Tom - Porque para mim esses dois anos não passaram, tu perdurarás para sempre em mim, como a primeira vez que te vi, uma princesa desgrenhada a entrar como uma lunática pelo salão nobre alemão. - dei um safanão a Tom ao qual ele me agarrou e deu-me um beijo rebelde, molhado, único, apaixonado.
-AAH! AJUDEM!!- o beijo quebrou-se com tal berro estridente, todos os olhos eram postos naquela simples aia no compasso de um segundo - O príncipe! - apontava arregalada e assustada para o lago, nesse momento o meu coração parou, olhei em volta procurando-o.
Eu - ERIC!- quando volto a olhar, Tom corria para o lago com todas as suas forças, entrando nele. Tentei correr atrás dele, mas uns braços agarraram-me a cintura - David, largai-me! Ordeno-vos!
David - Vossa excelência não irá a lugar algum. - olhava desesperada para o lago. O medo açulou-me, as minhas lágrimas tinham congelado com tal ansiedade, estava fria, tremia, fechei os olhos e pedi a Deus para salvar o meu filho.
- Graças a Deus! - abri os olhos num ápice vendo Tom encharcado carregando o nosso menino nos braços, deu um beijo na testa da criança e sorriu tranquilizando-me. Soltei-me dos braços de David e corri até eles dando vários beijos na testa de Eric que tinha os lábios roxos devido à sua baixa tem’peratura. Beijei os lábios de Tom e permanece-mos com as testas unidas.
- Majestade, o embaixador Espanhol está no palácio à sua espera. - olhei o chão, e depois encarei o seu rosto, o seu olhar mostrava perdão, sabia que mais uma vez o dever chamava.
Tom - Eu prometo que já vou ter convosco. - passou Eric para os meus braços dando um beijo na testa do bebé e um na minha. Mal a sua figura se ausentou as aias surgiram cobrindo Eric com mantas para que o frio passasse.
Tom já havia saído dos jardins, acompanhado por David e mais alguns guardas. Deixei-me ficar pregada ao chão, examinando os olhos acastanhados de Eric, que me fitavam completamente perplexos. Todo o meu corpo ainda tremia, não sabia como agir, ou o que dizer.
Beau – Vamos, Arwen… - O seu braço envolveu os meus ombros.
Virei o rosto para si e sorri-lhe fracamente ao qual, ele começou por nos encaminhar para o interior do palácio.
Assim que subimos as escadas, Simone correu até mim, envolvendo-me, com cuidado com os seus braços.
Simone – O que aconteceu? – Segurou Eric e, andou apressadamente para um dos quartos.
Eu – Obrigada, Beau. – Ele curvou-se e, observou-me a seguir Simone.
Entrei no quarto e fechei a porta. Simone e algumas aias preparavam-se para trocar Eric e darem-lhe um banho quente. Cerrei o punho com força e encostei-me à parede, fitando a cena, em completo silêncio. Sentia as minhas bochechas arderem e de certo que tinham uma tonalidade escarlate.
Simone – Ireis contar-me o que se passou? – O seu olhar castanho fixou-se em mim, secando as mãos a um pano de cetim.
Abri a boca para falar, mas a voz parecia enleada. Inspirei fundo e comprimi o maxilar.
Eu – Nós estávamos no jardim com o Eric. – Balancei a cabeça – Eu estava a falar com Tom e não vimos que Eric se tinha afastado de nós e… uma das aias gritou e Tom foi buscá-lo dentro do lago.
Simone arregalou muito os olhos – Não estava nenhuma aia perto de Eric, para que pudesse tomar conta dele?
Eu – Não. Quer dizer… ele estava perto de nós. Não havia razão para haver aias a cirandarem junto dele!
Simone – Pois claro que não! – Deu meia volta, apoiando uma das mãos na cintura, enquanto que com a outra coçava o queixo – Eric podia jazer morto naquele maldito lago enquanto que Vossas Altezas conversavam animadamente! – Falou com certo sarcasmo.
Eu – Perdão… - Hesitei, calando-me logo de seguida.

 

publicado por Ritiik às 20:29
link | comentar | favorito
23 comentários:
De May a 14 de Fevereiro de 2010
Ele ia morrendo o.o
maais;
Beijinho.
De мєℓαηιє кαυℓιтz a 15 de Fevereiro de 2010
God! O puto ia morrendo O.O
Ainda bem que aquela aia estava por perto e viu ><
E ainda bem também que o Tom tem reflexos rápidos e sabe nadar XD
Quero mais fic please *-*
Bjo. <3
De *Carolina* a 15 de Fevereiro de 2010

OMG! O o Eric podia ter morrido! O.o
Perxcebo o sentimento de culpa dela mas isso acontece aos melhores! =$
Quero mais!!
Bjs*
De Tété a 15 de Fevereiro de 2010
Ele ia morrendo. Coitado :S
A Dona Simone não tem nada de falar com ela daquele geito. Aquilo podia ter aconteido com os pais mais cuitadosos do mundo.

Posta mais...

Beijos**
De a.nee a 16 de Fevereiro de 2010
Hey!!
Do que o Tom se foi lembrar :\ Deixem o passado onde ele ficou pah, só lhes trás sofrimento. O Tom é bue querido, acho que independentmente das escolhas deles no passado eles terminariam juntos, se tivessem fugido talvez n tivessem sofrido tanto mas talvez fossem perseguidos porque o Caspian era cabrão, ponto final.
O.O O puto ia morrendo. Ai mãe, andam ali a gracejar e a coise e esquecem-se do Eric. Ele ia batendo a cacoleta, taidnho dele. A Arwen ficou quenem cal, aposto. :S
A simone tem razao mas n precisa ser tão dura come eles, acontece.

mais

bjinhozz
De Tanah a 21 de Fevereiro de 2010
Olá olá.
a selling a lie deu-me a volta a cabeça e já quase me tinha esquecido deste belo blog. ahahaha, tão sincera eu.
Bem continuando, a senhora arwen e o tom uau pobre eric ali com uns pais preocupados, sempre a seguir os seus passos, xD kidiging foi um pouco mau.
Anyway arissa e o bill sao tao adoraveis ^o)
Por favor postem mais. E se puderem troquem a cor ds comentarios a escrever porque eu estou completamente ás cegas.
Beijos. Tanah.
De Cαяσliiиα a 22 de Fevereiro de 2010
OMG, a Simone foi bué fria! Com as crianças é uma questão de segundos! Ela não percebeu que foi um descuido? Podia acontecer a qualquer pessoa! =O
Acho que a Arwen e o Tom é que deviam tar assim, não a Simone! --'
Tá liinda a fic *.*
Voces escrevem mesmo bem, pha!
Mais siim? ^^
Beijos =)
De KellysPimenta a 4 de Março de 2010
opa a simone foi uma vaca pahh stupid
eles nao tiveram culpa do que aconteceu
bahhh eles so estavam a aproveitar o momento
beijinhos
De -Connect TH a 26 de Março de 2010
Olá!
Vem acompanhar a FanFic Everything no blog.
Deixa o teu comentário ;)
beijinho*
De NegativeCreep a 25 de Maio de 2010
Querida...Eu andei pr teu blog e gostaria de te pedir ajuda. Ha tempos eu
procuro por um player de musica qu me fosse favoravel e não muito grande,e encontrei este teu. Tu poderia me ajudar e passar-me o link deste player fantastico? Muito Obrigda querida. Se o puderes eu ficarei muito grata!

Comentar post

.mais sobre mim

 

Fics
Selling a Lie
The Other Kaulitz Boy I

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.